Equipamentos Avançados em Holter e MAPA

2º Prêmio


 
 

2º Prêmio Cardios em

Eletrocardiologia não-Invasiva
 
20º Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas - 2002
 
 
Análise do sistema nervoso autônomo durante o sono de pacientes portadores de síncope neurocardiogênica 
 
 
Fátima Dumas Cintra, Dalva Poyares, Sérgio Tufik, Angelo A V de Paola,

Guilleminaut C. Stanford Sleep Center, Stanford-CA, USA;

Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP-São Paulo.
 
 
Fundamentos:  
 
A confirmação diagnóstica e a reprodução das alterações hemodinâmicas através do teste de inclinação em pacientes portadores de síncope neurocardiogênica (SNC) nem sempre é possível. A possibilidade de existirem alterações no SNA durante o sono de tais pacientes, poderia sugerir um aumento na susceptibilidade no desencadeamento do reflexo paradoxal durante a vigília. O objetivo deste trabalho é analisar o uso da polissonografia (PSN) com análise da variabilidade RR, na investigação de tais pacientes.
 
  
Materiais e métodos: 
 
Foram estudados 10 pacientes com diagnóstico clínico de SNC e 5 voluntários normais. Os critérios de exclusão foram: presença de doença cardíaca estrutural, anormalidades respiratórias e distúrbios do sono. Os pacientes foram submetidos ao teste de inclinação (TI), e polissonografia (SonolabÒ Meditron). A respiração foi monitorada através de cânula nasal com medição de fluxo por transdutor de pressão. A FC foi monitorada pelo sistema Holter (CardiosmartÒ). Oximetria de pulso foi obtida com o uso de um oxímetro Nellcor™. A análise da variabilidade da freqüência cardíaca foi realizada no domínio de tempo e frequência (autoregressão) aplicadas a intervalos sucessivos de 5 minutos durante o sono não-REM e REM.  
 
Resultados: 
  
Idade média 26.6±13.5, 8 do sexo masculino. A média dos intervalos RR (RRI) durante o sono REM foi maior em pacientes com TI positivos (1184±98.9ms) quando comparados com o resultado negativo (943±122.9ms), p=0.004.O componente simpático (razão LF/HF), mostrou-se muito diminuído durante o sono REM nos portadores de SNC (0.7±0.4), quando comparados com o grupo controle (1.9±1.5), p<0.05. 
 
   
   

 

 

Conclusão:
A PSG associada à análise da variabilidade RR, demonstra uma deficiência do mecanismo de regulação simpática durante o sono em pacientes portadores de SNC, sugerindo que, provavelmente, a supressão simpática seja a anormalidade básica de tais pacientes.


Av. Paulista, 509 - 1º andar - CEP 01311-910 - Paraiso - São Paulo / SP - Tel: 3883-3030

Web |