Equipamentos Avançados em Holter e MAPA

5º Prêmio


 

 

5º Prêmio Cardios em

Eletrocardiologia não-Invasiva
 
22º Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas - 2005
Fortaleza - CE 
 
"A resposta vasodepressora ao teste de inclinação está relacionada a pior prognóstico em pacientes portadores de síncope neuromediada"
 
 
Giulliano Gardenghi; Maria Urbana Brandão Rondon; Ana Maria Braga;
Carlos Eduardo Negrão; Eduardo Sosa; Denise Hachui
Instituto do Coração (InCor) - HC/FMUSP;
Escola de Educação Física e Esporte da USP;
Universidade São Judas Tadeu / SP 
 
Introdução:  

 

SÍNCOPE NEUROCARDIOGÊNICA

•Maiores volumes no leito venoso.
•Vasoconstrição diminuída após estresse ortostático e durante exercício dinâmico.
•Redução no volume central de sangue, com redistribuição alterada.
Morillo et al. Cardiology Clinics 1997;15(2):233-49 


Objetivo: 


Identificar, baseando-se nas respostas ao teste de inclinação, a recorrência de síncopes em pacientes submetidos a tratamento clínico, farmacológico ou não. 
Casuística e Métodos 
Critérios de inclusão
•70 pacientes com diagnóstico de síncope neurocardiogênica (teste de inclinação positivo + história clínica);•

•ambos os sexos;•

• com síncopes recorrentes (dois ou mais episódios, sendo o último em até seis meses antes do início do protocolo);•

•refratários a medidas gerais.

 

Critérios de exclusão
•causas cardíacas e neurológicas;•

•pacientes com profissões de risco;•

•pacientes com pródromos curtos ou ausentes;•

•história de traumatismos físicos relacionados à síncope.
 
Randomizados em 04 grupos:  


 


 
 
Resposta Positiva ao Teste de Inclinação (TI) 
•Vasodepresssora: queda na PAS > 30mmHg, sem alteração expressiva na FC.
•Cardioinibitória: pausa sinusal súbita > 3 seg, acompanhada de queda na PA.
•Mista: queda da PA > 30mmHg com concomitante queda da FC.
•SPOT: aumento na FC > 30 bpm em relação ao basal, ou taquicardia sinusal > 120 bpm, nos primeiros 10 minutos, com sintomas. 
Análise Estatística 
–Teste de Log-rank e regressão linear de Cox, utilizando intervalo de confiança de 95%.
–Valores de P<0.05 foram considerados significantes 
Intervenções (tratamento) 
Medidas Gerais e Dietéticas
•Aumento do suporte hidro-salino
•Evitar fatores desencadeantes
•Reconhecer os sintomas prodrômicos
 
Tratamento Farmacológico 
Terapia guiada pelo teste de inclinação

•Betabloqueadores

•Fludrocortisona

•Inibidores da recaptação de serotonina
 
Treinamento Postural Passivo 
•3 sessões semanais, com duração de 30 minutos;
•1a. semana em ambiente hospitalar;
•Ambiente tranqüilo, sem riscos de trauma físico, supervisionados por um familiar;
•Interrupção ao primeiro sintoma. 

 

 •Indivíduo em pé;
•Dorso encostado na parede;
•Pés afastados 15 cm da mesma;
•Posição fixa por 30 minutos.
 
 
 
 
Treinamento Físico Moderado 
•3 sessões semanais, com duração de 60 minutos, assim distribuídos:
•5 minutos de alongamento;
•40 minutos de exercícios aeróbios (LA - 10% abaixo do PCR) - FC;
•10 minutos de exercícios localizados;
•5 minutos de relaxamento. 
Resultados 

  

 


 
 

 

 

 

Pacientes com resposta vasodepressora ao TI apresentaram 4,5 vezes maior chance de recorrência, independentemente do tratamento realizado. 
Probabilidade livre de recorrência:
TI diagnóstico
  


 

CONCLUSÃO 
Pacientes que apresentam resposta vasodepressora ao teste de inclinação têm maior probabilidade de recorrência de síncopes, independentemente do tratamento realizado. 



Av. Paulista, 509 - 1º andar - CEP 01311-910 - Paraiso - São Paulo / SP - Tel: 3883-3030

Web |